sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Fim.

Um velório. Caixão lacrado. Tristeza em toda a parte, lágrimas inundando almas. A perda de um amigo, que também era filho, irmão e namorado. Muitas pessoas presentes, ele era querido. Ao me aproximar, nostalgia... O via todas as manhãs, sempre sorridente e falando bobagens. Mau humor não existia naquela vida, que apesar de muito simples era feliz! Sempre me fazia rir com suas pataquadas, não importava como eu estivesse. Hoje eu olhei no relógio e notei sua demora, ele não apareceu. Minutos depois recebo a notícia. Um baque, o fim. De cima da moto para debaixo de um carro. Imprudência de um motorista que não parou para socorre-lo. No velório deixamos uma coroa e uma faixa: "Sua passagem pela vida foi breve, mas sua lembrança será eterna." E será, sem duvida.

Um comentário:

Anônimo disse...

Nesse momento não há o que dizer. Querida ... Sinto por você ....