quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Sapatilhas

Meus pés saem do chão. Flutuo a cada verso da musica envolvente que sai das caixas de som jogadas no canto do meu quarto. Fora do chão e fora de mim, movo meus pés de acordo com a melodia. Minhas sapatilhas, velhas companheiras, levitam comigo em giros e saltos tão altos que penso poder alcançar o céu. Elas já estão tão surradas e quase sem cor, mas tenho por elas o mesmo amor de quando as comprei e as calcei pela primeira vez. Já dormi com elas nos pés pensando poder sonhar com uma nova coreografia. Foram quatro anos maravilhosos e duros de uso. Aulas de técnica, pés esticados quase tocando a testa, apresentações ao ar livre em quadras de chão áspero, domingos exaustivos de treinos e ensaios... que um dia chegaram ao fim, totalmente contra minha vontade. Cresci rápido e a necessidade um emprego me tiraram o que mais amava. Hoje restam as sapatilhas gastas na gaveta e as lembranças e os rodopios no quarto, com a esperança de um dia voltar a rodopiar num palco por ai...

Um comentário:

Paulinha disse...

Eu quero ver a sapatilha tatuadaaaaaaa