segunda-feira, 13 de abril de 2009

Scabin não faz efeito!

Tenho tentado fugir dessa cabeça maluca! Quando eu acho que vai ficar tudo bem, lá vem outro capote no travesseiro e horas de choro. Pelas coisas que ouço não sei definir o que se passa, mas sinto um nó dentro dela. Ela diz que precisa ficar sozinha, mas isso só a deixa pior. Essa sensação de isolamento está travando uma pessoa que sempre foi um poço de tagarelices e traquinagens. Hoje as palavras não saem, eça não quer dizer o que sente, acha desnecessário. Ninguém precisa ouvir denooooovo o que ela já disse 2938472985782 vezes, e de que adianta? Ninguém vai resolver mesmo... só ela mesma. Hoje nada tem graça. Por mais besteiras que digam perto dela, nem um sorriso sai. Hoje nem vídeo do Rafinha Bastos tá fazendo efeito.
Vontade de sair de casa? Zero! Sem dinheiro ela se sente um estorvo. Então, fiquemos em casa na companhia dos desenhos do SBT, de um bom livro e seus bichos de pelúcia. É isso! Sem ela pra falar chatices e ser bancada, o mundo fica melhor!

As vezes quero fugir dessa cabeça alucinada, que quer abraçar o mundo e não consegue mudar nem o seu próprio. Mas algo me diz "Não vai... ela precisa de você." E aí eu caminho no seu couro cabeludo, causo coceiras e ela por instantes não pensa no que a incomoda, só em mim! Hehehehe...

Fuga, fuga, fuga... Chega! Vou agitar essa cabeleira e dar uma reviravolta nessa palhaçada! Chega de chorar, chega de palhaçada...

Hei, hospedeira... Psssss... Aqui em cima!!! Olha pra você, toma jeito! Sem lamúrias. Mas... nada!
Hora de mudar!