quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Divagando inutilmente.

Esses dias em meio a tanta chuva me fizeram parar para pensar nos tão queridos e odiados guarda-chuva! Eu sou uma pessoa que abomina esse acessório. Sei lá, acho inútil porque numa chuvona ele mal protege sua cabeça, e se ventar, fodeu! O guarda-chuva vira ao contrario, aí imagina! Ele lá, te puxando com o vento, e você tentando fecha-lo, e nessa luta pra segurar suas coisas, fechar o guarda-chuva e não sair voando, você já parece um cachorro molhado, fedendo a pêlo úmido.
Ontem mesmo foi um perreio. Saí do trabalho e começou a chover (maldito Murphy e suas leis), eu de mochila nas costas e um capacete na mão. Pendurei o capacete na mochila e começou a briga pra pegar o guarda-chuva. Consegui! Mas a chuva vinha de lado, e não resolveu NADA abrir o bendito.
Alguém já encontrou um guarda-chuva na rua? Eu não. Já perdi um monte, mas nunca achei nenhum perdido por ai, a não ser quebrado. Então, falando a respeito com uma amiga, me indaguei: para onde eles vão? Será que eles vivem num universo paralelo? Mas a parada é estranha, porque os únicos que eu vejo na rua estão quebrados. Seriam esses banidos da terra dos guarda-chuva, como alguns animais fazem em seus bandos quando há algum muito velho ou doente? Bom, de qualquer modo, nem me interessa, porque eu odeio eles.
Hoje o dia está lindo, e eu espero não precisar de um, mesmo porque o meu, pra variar, ficou em casa... Bleh.